segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Somos!




     Somos chamadas de chatas por conta do nosso feminismo. De putas, porque querermos a nossa liberdade. A verdade é que carregamos o fardo da sociedade e muitos acham exagero, mas, realmente, é difícil ser mulher. Queimamos nosso sutiã um dia... Mas será preciso queimar a lingerie inteira? A sociedade moderna é atrasada nos seus princípios.
     Somos emocionais sim, pois acreditamos que o amor é a força pra mudar o mundo. Acreditamos nos nossos filhos. Por isso, em sua maioria somos nós que cuidamos da sua educação, preocupadas com o dever de casa, com o desempenho e comportamento escolar.
    Não desistimos de quem amamos, mesmo que muitas vezes eles nos decepcionem. Por isso, é comum ver nas filas dos presídios, milhões de mulheres indo visitar seus maridos, filhos, irmãos...
     Somos aquela mulher sertaneja, que diariamente tenta buscar alimento para seus filhos.                 Somos aquela mulher chefe da empresa, que tem que trabalhar dobrado pra provar realmente que é competente. Somos aquela mulher que já está tão presente no mercado de trabalho, mas que ainda tem uma jornada dupla, pois precisa cuidar dos seus filhos e da casa. Somos aquela mulher preocupada com seu companheiro, que nunca o abandona no momento de dificuldade. Somos aquela mulher professora, que ainda sonha e acredita na educação e em um mundo melhor.
     Somos aquela mulher debaixo da burca, que tem nos seus olhos a janela para o mundo, por isso ver sempre adiante. Somos aquela mulher "Mãe" de terreiro, que com fé traz conforto para tantos aflitos. Somos aquela mulher que ainda sofre assédio moral e sexual em diversos espaços.         Somos aquela mulher militante, que junto com outras estão na luta pela nossa emancipação.
   Somos aquela mulher sem terra, que na luta do seu movimento enfrenta essa sociedade capitalista e excludente. Somos aquela mulher que cria forças pra denunciar o marido, depois de anos de agressão.
       Nossas angústias e desejos são os mesmos. Somos donas do nosso destino, dos nossos sonhos e apenas queremos ser nós mesmas.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Nossa canção vai ecoar!




Deita-se comigo

Temos tanta intimidade

Eu tenho certeza do que sinto

Você diz que é verdade



Me dá um belo sorriso

Um beijo

Um afago

Mas de repente tudo muda

Seu beijo fica gelado

E meu sorriso vira soluço.



Quando o afago transforma-se em tapa

O amor vira ilusão

Minha voz é calada

Pela força da sua mão.





A  lagrima é meu grito de socorro

Mas você já me matou aos poucos

Cortando lentamente

Cada pedaço do meu coração





 Em quatro paredes

Vejo o meu amor virá castigo

O “eu te amo”

Transforma-se em gritos

E o sentimento em humilhação




 Não segura minha mão como antes

Agora é um aperto doloroso

E minha vida transforma-se em sufoco

Com minha auto-estima morrendo aos poucos




Quem apanha é quem não presta

Será Que sou tão ruim assim?

 Eu só queria ser feliz

Mas a felicidade não foi dada a mim.
 



E no exemplo de tantas “Marias da Penha”

Que conseguiram se libertar

Eu encontro uma luz

Tenho forças pra lutar



Somos nós que geramos vida

Nossa importância não pode ser esquecida

Pois carregamos nos ombros

O fardo da sociedade

 Mesmo assim

Tiram-nos a nossa dignidade

Tomam a nossa liberdade





Não irão calar nossa voz

Nossos gritos se espalharão

Mas eles serão doces

Como uma bela canção



Mas será uma canção de protesto

Que em todo canto vai ecoar

Porque juntas somos fortes

Nunca vamos nos calar!



Karla Ramalho




quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

1 ° Acampamento da Juventude da Articulação de Esquerda!

A Juventude da Articulação de Esquerda, tendência interna do Partido dos Trabalhadores, realizará no início de fevereiro o 1º Acampamento da JAE-DF, que ocorrerá no Jardim Botânico de Brasília. O evento contará com diversos debates, saraus, exibição de filmes e práticas esportivas.
A taxa de inscrição individual é de 25 reais para a estrutura do acampamento (alimentação e materiais) e a taxa de conservação do local.

É preciso preencher o formulário até o dia 31 de janeiro, no seguinte link: https://docs.google.com/spreadsheet/viewform?formkey=dElzbWZJVXJOZU1qb1YyZnhTejcxQmc6MQ#gid=0



O pagamento deve ser depositado no Banco do Brasil, agência: 2887-8 conta: 5644-8, em nome de Luana Alves de Paula e Silva, depósito identificado ou enviar o comprovante de depósito para lapsilva@gmail.com.

Segue a programação:

Sexta à noite (01/02) a partir de 19h - Debate sobre socialismo.
                                                        Sarau Cultural.

Sábado (02/02) - Manhã: debate sobre juventudes, com Jonatas Moreth (3º Diretor de Políticas Educacionais da União Nacional dos Estudantes).
                          Tarde: Exibição de filmes sobre o DF.
                          Noite: Debate sobre história do DF e Entorno.
                          Sarau Cultural.

Domingo (03/02) – Plenária.
                             Encerramento com práticas esportivas.