quarta-feira, 25 de julho de 2018

MASCULINIDADE SAUDÁVEL X DORES FEMININAS



Há um tempo venho reparado em alguns homens que veem com o discurso de buscar uma masculinidade saudável, como reconhecer seus privilégios e se livrar do machismo que também os aprisionam. Está mais que provado que a masculinidade tóxica mata e oprime as mulheres, fruto de toda essa construção social que privilegia os homens em detrimento das mulheres.
Cheguei aos meus 30 anos recentemente e essa idade é realmente crucial na vida de nós mulheres(acredito eu), muitas coisas mudam. Nossa forma de ver o mundo, nossa forma de agir e principalmente, aprendemos com o nossos erros e tentamos não repeti-los. Falo por mim.
Um dos erros que venho tentando não repetir é sobre relacionamentos. Aprendendo a deixar a carência de lado e não me submetendo a certas relações. Buscar um caminho de autocura e descobrir que eu sou suficiente pra mim e que o amor próprio é a minha maior força e dentro dessa pesperctiva, quem sabe me envolver de uma maneira saudável, tendo consciência que não preciso ser permissiva demais para que as coisas possam dar certo. E isso não me cabe só pelo fato de ser mulher. Com certeza, foi sozinha que consegui  buscar essa força, porque não é saudável envolver ninguém em meus conflitos internos.
E os homens¿ Não que eu queira me intrometer na jornada deles de autodescoberta e cura dessa masculinidade tóxica. Mas tenho reparado que a maioria deles criam essa consciência, sempre depois de já terem “bagunçado”  à vida de muitas mulheres. É muito difícil um homem ficar sozinho, mesmo que seja um homem complicado, vai ter sempre alguma mulher pra “comprar” sua história e quando é ao contrário isso não acontece. Isso porque há aquele velho costume do homem de usar as mulheres como “muletas”, pra serem compreensivas com seu momento e ajudá-lo a superar seus conflitos. E muitas de nós, por carência, aceitamos certas situações e esses “homens complicados”. E o que acontece na maioria dos casos¿ Os homens sem a certeza do que querem, machucam muitas mulheres. Esses que estão na busca pela masculinidade saudável, “sacrificam” muitas  nesse processo. Me revolto! Para nós mulheres essa autodescoberta é sempre um caminho complicado e solitário, até pela falta de apoio dos homens em relação ao nosso conflito, ou até mesmo porque é importante que seja um processo nosso. Mas muitos homens não pensam assim, fazem sua trajetória na busca de sua masculinidade saudável em cima de dores femininas. E até quando isso será aceito? Quantas vezes já ouvimos: “Nossa! Fulano mudou mesmo!”. Mudou a que custo? Quantas dores femininas foram aceitas para que o homem pudesse tornar-se melhor?
Uma coisa eu digo e vai para muitos homens: Curem-se sozinhos! Não  “sacrifiquem” mulheres nessa jornada para se tornarem homens melhores. Eu acredito muito na “Lei do Karma” e torço para que faça valer para muitos homens que ainda usam o discurso de ir contra a masculinidade tóxica,  mas não se atentam que enquanto não estiverem bem resolvidos consigo mesmo, não terão relações saudáveis e machucarão muitas mulheres. Se envolvam com a certeza que de que serão de fato homens melhores, não nos enfiem nos seus conflitos internos. Pronto, falei! (SOU DESSAS)


Karlinha Ramalho

Um comentário:

  1. Amei amiga o texto. Compartilho do mesmo pensamento. Não podemos aceitar relações toxicas em nossa vida. Infelizmente sofremos muito até descobrirmos o nosso poder. Eu amo ter 32 anos. Estou na melhor fase da minha vida. Posso amar, mas não preciso mendigar!

    ResponderExcluir