terça-feira, 21 de dezembro de 2010

DE LULA À DILMA: COMO EU ENTRO NESSA HISTÓRIA!



A primeira vez  que votei foi aos 16 anos, o primeiro voto da minha vida foi para o Lula, nessa época não tinha a consciência política que tenho hoje, também não era filiada ao PT, mas estava começando a trilhar meu caminho de militância, pois fazia parte do Grêmio Estudantil na escola onde estudava.
A imagem do Lula sempre fez parte da minha trajetória, nasci em 1987, no final da ditadura militar e depois que o Brasil conseguiu voltar à democracia o Lula começou a fazer parte da minha vida.Lembro-me ainda pequena, das propagandas eleitorais que meus pais assistiam e lá estava o Lula, não tão “engomadinho” como hoje, barba mal feita, mas sempre com o mesmo discurso , que era melhorar a vida do povo.
Meu pai de direita,  vivia falando mal do Lula, que ele era um analfabeto, louco, comunista, enfim, todos esses nomes que nós militantes recebemos da direita, minha mãe não, sempre votou no Lula, mesmo não sendo tão militante como eu sou nos dias de hoje.

Sempre fui muito apegada ao meu pai, então sempre acatava tudo o que ele me dizia, ou seja, que o Lula era um louco mesmo. Hoje vejo que meu pai tinha razão em falar que o Lula era um louco, o louco mais genial que já existiu.
Na minha primeira eleição eu fui toda orgulhosa assisti o horário eleitoral e  já gostava do Lula, até por achar que ele era um louco mesmo como meu pai dizia, mas eu não achava isso um defeito e sim uma qualidade, pois os loucos são persistentes, não ligam para o que os outros dizem, são sonhadores, a diferença foi que Lula transformou seus sonhos em realidade.
Nessa época minha família estava passando por alguns problemas financeiros e eu perto de terminar o ensino médio, não tinha nenhuma perspectiva de entrar no ensino superior, nem eu e nem meus amigos de escola. Era nítido que o atual governo da época não estava dando certo, não via mudanças sociais e econômicas no país e nem em minha vida.
O meu primeiro voto, a primeira vitória do Lula, o primeiro governo do PT na presidência, o primeiro presidente operário, como a maioria dos brasileiros.
 Quando o Lula ganhou eu fui para a  posse e foi alí que percebi a dimensão  da importância da vitória do Lula para tantos trabalhadores desse país, por ver a esperança nos olhos do povo, o choro emocionado de muitos e a imensa alegria da multidão presente.Depois disso, terminei os estudos, comecei a trabalhar e me filiei ao PT.
Na reeleição do Lula eu contribui para sua vitória ainda mais, pois já era militante do PT, então fui para a rua panfletar e pedir voto e quando Lula ganhou , mais uma vez fui para sua posse e novamente aquela mesma emoção, a esperança continuava no coração de muitos.
Logo depois, passei em uma universidade pública, mudei de cidade, alguns amigos meus da época de escola conseguiram bolsa integral em faculdades através do PROUNI, minha mãe financiou um carro, meu pai foi anistiado e voltou para o Ministério das Cidades, no qual foi demitido na época do governo do Collor, também financiou um carro, eu disputei as eleições como vice-presidente do Diretório Acadêmico do Campus da Universidade onde estudo, consegui um emprego e entrei para a Articulação de Esquerda do PT. Era o desenvolvimento mudando o país e eu vendo essa mudança acontecer em minha própria vida.
Governo Lula chegando ao fim e agora seria o meu ano de trabalhar muito na campanha, pegar minha bandeira vermelha e ir para rua, buzinar nas carreatas, conversar com muitos, convencer, argumentar e conseguir voto,agora depois do primeiro presidente operário havia chegado a vez de eleger a primeira mulher presidenta do país, eu queria fazer parte disso, queria ajudar novamente a eleger uma candidata que entraria para a história
Dia 30 de outubro de 2010 foi o dia das eleições, eu trabalhei como fiscal, vi os votos saindo da urna, tensão, nervosismo, ansiedade... Dilma na frente, mas mesmo assim o segundo turno foi inevitável, a luta apenas começava,creio que a campanha do segundo turno foi bem mais difícil, por todos os absurdos e mentiras que a direita divulgou para derrubar a candidata da esquerda, mas mesmo assim a verdade venceu a mentira.No dia das eleições do segundo turno lá estava  eu novamente como fiscal e no começo da apuração das urnas a Dilma estava na frente,meu coração se encheu  de esperança, peguei minha bandeira vermelha e fui direto para a festa da vitória junto com outros amigos militantes.

Chegando lá,  a festa da vitória já estava pronta, muitas bandeiras juntas em prol de um só objetivo, fazer com que o Brasil continuasse mudando.Estava chegando o momento que ficaria para a história, por volta das 20:30 as urnas de todo o pais haviam sido apuradas,  e anunciaram que DILMA ROUSEEF havia sido eleita, mais uma vez eu estava participando de um momento histórico e quando começou a tocar o hino nacional, não me contive,as lágrimas caíram, lágrimas de vitória, de esperança, de alegria e quando olhei para o lado vi que muita gente chorava, lágrimas de alegria e de vitoria.


Fico imaginando daqui há alguns anos, onde meus filhos ouvirão nas aulas de história sobre o primeiro presidente operário e sobre a primeira mulher presidenta do país e direi a eles que participei desse momento, que ajudei a elegê-los e que quando o Brasil mudou para melhor a minha vida mudou junto.

Karla Ramalho
Música do momento:
Vem vamos embora que esperar não é saber...(Geraldo Vandré)

Nenhum comentário:

Postar um comentário