quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

PATATIVA DO ASSARÉ

Tempo desses estava lendo um cordel do Patativa do Assaré e nele dizia assim: “Para ser poeta não era preciso ser professor, basta no mês de maio, recolher um poema em cada flor brotada nas árvores do sertão”. 
 Ele mesmo era a prova disso,de que ser poeta é um dom, pois é preciso encontrar um verso nas coisas mais simples da vida e ter sensibilidade para colocar em palavras os sentimentos. Muita inspiração teve esse poeta, teve seu sertão,sua vida de vaqueiro  e seu povo sofrido, que apesar de tudo ainda encontra  esperança de tentar se feliz  que busca na fé um conforto para seu sofrimento e é essa mesma fé que os fazem ter esperança que um dia tudo vai ser melhor de que um dia eles terão um presente que cairá do céu, que apesar do castigo da seca encontra o consolo em uma viola magoada, bem chorosa a apaixonada e em uma amizade. Patativa do Assaré provou que a simplicidade  pode tranformar-se em poesia, pois é preciso ter um coração especial é preciso amar, sentir, sofrer e sorrir é preciso conhecer cada ser humano é preciso prosear e descobrir os valores dos outros... Tudo em nossa vida é motivo para uma poesia, basta ter sensibilidade para saber expressar.

Antônio Gonçalves Dias, tão belo e tão saudoso como uma Patativa  que nasceu lá no sertão do Ceará  em um lugar pequenino chamado,  Assaré.


Salve, salve PATATIVA DO ASSARÉ!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário