quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Eu, o poeta e o mundo!


As vezes prefiro sonhar
Para não dar de cara com a realidade
Para fugir do mundo
E não me decepcionar com os outros.
Sempre em uma mente sábia
Há um coração fraco.
O poeta mente para si mesmo
Mente tanto
Que se engana que é feliz
A poesia nos faz fugir
Do verdadeiro mundo
Pelo menos por alguns instantes
No instante dos versos
Surgindo em simples linhas
Dos sentimentos colocados em rimas
Ou em belas palavras.
Todo poeta se torna um sábio
Mas todo poeta
Nunca se tornará
Completamente sincero.

Karla Ramalho

Nenhum comentário:

Postar um comentário